Áreas de Atuação

Especialidades:

Fonoaudiologia:
Avaliação e tratamento das funções cognitivas, linguagem oral, linguagem escrita, fala e motricidade orofacial. Funções cognitivas abordam a Neuropsicologia, que inclui as funções de atenção, memória, linguagem oral, linguagem escrita, habilidades aritméticas e funções executivas.

Intervenção Motora (Estimulação Precoce) e Psicomotricidade:
Especialidades que implementam atividades motoras e sensoriais (sistema vestibular, sistema proprioceptivo, sistema tátil, sistema visual, sistema auditivo) com o objetivo de otimizar o desenvolvimento de bebês e crianças que apresentem atraso psicomotor, seja este atraso por falta de estímulo ou pela existência de uma deficiência ou dano neurológico (exemplos: TEA, TDAH, Paralisia Cerebral, Síndrome de Down). E mais, através de instrumentos de avaliação, realiza-se laudos psicomotores de bebês e crianças (com e sem necessidades especiais), auxiliando assim, pais e professores a compreenderem as necessidades desenvolvimentais dos filhos/alunos.
Necessidades atendidas: TEA, TDAH, Paralisia Cerebral, Síndrome de Down,
Atendimento: Língua Portuguesa e Inglesa.

Mindfulness:
Capacidade de prestar atenção no momento presente a tudo que surge internamente e externamente sem se emaranhar em julgamentos ou desejos de que as coisas sejam diferentes. Mindfulness é o oposto do funcionamento no piloto automático, o oposto de devanear; é prestar atenção ao que está acontecendo no momento presente.  Ser consciente (mindful) é despertar – reconhecer o que está acontecendo no momento presente com uma atitude generosa/acolhedora. O mindfulness focaliza nossa atenção na tarefa do momento, quando estamos conscientes no momento presente não estamos ligados ao passado ou ao futuro, apenas atentos no aqui agora. Mindfulness não se trata de um exercício de relaxamento; às vezes seu efeito é o oposto, como quando o objeto de atenção é perturbador. Mindfulness é organizar a nossa experiência atual de uma forma relaxada, alerta e aberta.

Método Irlen:
É uma tecnologia inovadora não invasiva que usa lâminas seletivas e filtros espectrofotocromáticos (espectrais) para melhorar a capacidade do cérebro no processamento da informação visual, proporcionando ao indivíduo uma melhora na qualidade do aprendizado. As lâminas seletivas (overlay) são lâminas coloridas colocadas sobre o papel branco, utilizadas para atividades de leitura obtendo grande melhora na velocidade, fluência e tolerância à manutenção da atenção e foco por tempo prolongado o que, antes de seu uso, era praticamente inexistente dado ao grau de desconforto apresentado pelos portadores da dislexia e ou Síndrome de Irlen. Estima-se que entre os disléxicos, a Sindrome de Irlen tem uma incidência de 46% e na população em geral, sem queixas específicas o percentual é de 14% atingindo indivíduos que, embora evitem atividades relacionadas à leitura e escrita tem na fadiga visual, baixa visão de profundidade, fotofobia, desconforto ao uso do computador, omissão de palavras e linhas de texto, inversão de sílabas, distração e sonolência como algumas de suas queixas principais. Os filtros seletivos selecionados a partir de uma gama inicial de cem cores são combinados entre si para detectar quais deles interferem no processamento visual que causa os sintomas da dislexia. Estas combinações são então transferidas para os óculos com filtragem seletiva. Estes óculos são usados para ampliar o ajuste neurovisual das áreas da matemática e em atividades de cópia, escrita, soletramento, uso de computador, direção de veículos, esportes, percepção em profundidade, etc. As combinações são infinitas para o tratamento do comprimento de onda exato em que o distúrbio neurovisual se manifesta em cada indivíduo. Estes filtros são adicionados separadamente em justaposição e sem fusão em uma única cor final. Esses comprimentos de onda são posteriormente aferidos por tecnologia a laser de rubi. De acordo com as características do paciente, o tratamento é realizado através do uso de overlays ou de filtro nos óculos – que são anexados às lentes ópticas, com ou sem correção de grau.

Psicodiagnóstico:
O psicodiagnóstico é um processo de avaliação psicológica fundamentalmente clínico, que envolve entrevistas e o uso de testes psicológicos, podendo ser considerado como um momento prévio a uma possível entrada em tratamento. Durante a avaliação psicodiagnóstica busca-se uma investigação dinâmica e global da personalidade, que é considerada como uma estrutura em evolução e cujos elementos encontram-se em interação

Psicologia (criança, adolescentes, adulto, casal e família):
A psicoterapia busca ajustar o melhor tratamento para cada paciente ou família nas várias etapas da vida. E mais, autoconhecimento;  auxilia no desenvolvimento emocional, social e relacional dos indivíduos; mediação na resolução de conflitos familiares; e busca uma individualização do processo terapêutico, valorizando as características pessoais do paciente e do terapeuta.

Psicopedagogia:
Tem como objetivo de estudo as dificuldades de aprendizagens e o desafio de aprender. Atua no processo de mudança dos aspectos cognitivos investigando e promovendo as habilidades do desenvolver das aprendizagens. Realiza avaliações, orientações e assessorias a pais e escolas, após avaliação de cada caso.  No âmbito de assessoria a empresas e hospitais ,também após avaliação diagnóstica auxilia, quem apresenta alguma dificuldade de aprender uma nova tarefa assim como dificuldades no aprender.

Psiquiatria:
Psiquiatria é uma especialidade da Medicina que lida com a prevenção, atendimento, diagnóstico, tratamento e reabilitação das diferentes formas de sofrimentos mentais, sejam elas de cunho orgânico ou funcional, com manifestações psicológicas severas. São exemplos: a depressão, os transtornos de ansiedade, o transtorno bipolar, o transtorno obsessivo compulsivo, a esquizofrenia, a dependência química, a demência, o retardo mental, o transtorno de défcit de atenção e hiperatividade, o autismo e os transtornos de personalidade.
A meta principal é o alívio do sofrimento e o bem-estar psíquico. Para isso, é necessária uma avaliação completa do paciente, com perspectivas biológica, psicológica e de ordem cultural, entre outras afins. Uma doença ou problema psíquico pode ser tratado com medicamentos ou técnicas psicoterápicas diversas, muitas vezes em associação, dependendo do caso.
A avaliação psiquiátrica envolve o exame do estado mental e a história clínica. Testes psicológicos, neurológicos, neuropsicológicos e exames de imagem podem ser utilizados como auxiliares na avaliação, assim como exames físicos e laboratoriais.
Os medicamentos psiquiátricos são parte importante do arsenal terapêutico, o que é único na Psiquiatria. A técnicas psicoterápicas também fazem parte do arsenal terapêutico do Psiquiatra, embora também possa ser utilizada por outro profissional de saúde mental, o Psicólogo, de forma interdisciplinar.

 

Serviços:

  • Atendimentos Clínicos
  • Assessorias
  • Consultorias
  • Palestras
  • Supervisões